Onze quilómetros de tapetes floridos para a procissão passar

17-MAR-2009

Tapetes de flores que, no total, atingiram 11 quilómetros de comprimento cobriram ontem as ruas de Alvarães, Viana do Castelo, para a passagem da Procissão do Senhor dos Enfermos, que todos os anos se realiza naquela vila, sempre no terceiro domingo da Quaresma.

 “A Igreja incita os cristãos a participar na comunhão, mas como há pessoas doentes que não podem ir à Igreja comungar, é a Igreja que vai ter com eles, levando o Senhor aos seus lares”, explicou o pároco de Alvarães, monsenhor António Gonçalves.

Os tapetes são confeccionados, ao longo da estrada que a procissão vai percorrer, pelos moradores dos diversos lugares da freguesia, que para o efeito se organizam em comissões a quem cabe angariar os meios necessários à compra de flores.
Os moradores nos vários lugares começam a atapetar as ruas logo a partir das 09:00, para que às 14:00, hora da saída da procissão da Igreja Paroquial, as ruas estejam devidamente engalanadas. Cultivam, mesmo, uma sã rivalidade entre eles.
Durante quatro décadas, Augusto Faria, actualmente com 90 anos de idade, colaborou activamente na confecção e decoração destes tapetes, nomeadamente através dos chamados «centros», que davam um toque especial aos tapetes do Lugar do Xisto, onde reside.
São trabalhos alusivos a motivos religiosos e moldados e pintados por ele, confeccionados em esferovite, barro, platex e gesso.
Em 2008, estes centros ainda abrilhantaram a estrada, mas este ano já não saíram da casa de Augusto Faria, por força da sua idade avançada e do debilitado estado de saúde.
“É um trabalho que exige muita paciência, muita minúcia, às vezes passava da meia-noite e ainda estava de volta disto”, contava, há tempos, o octogenário.
“O problema é que ninguém quer saber disto, os mais novos só pensam em discotecas, e quando os da minha geração acabarem temo que esta tradição também seja votada ao abandono”, acrescentava.
Agora, os filhos de Augusto Faria querem ver a arte do pai perpetuada num pequeno museu ou núcleo museológico, para mostrar às gerações
vindouras. Na Procissão do Senhor aos Enfermos, que normalmente dura até às 18:00, participam sempre umas centenas de pessoas, que entoam cânticos.
Além destes tapetes, a vila de Alvarães é conhecida pelos andores floridos, igualmente confeccionados apenas com pétalas e que são o “ex-libris” da Festa das Cruzes, que todos os anos se realiza em Maio.

  • Partilhar